HomesegurançaMáscaras, higienização e reutilização. Procedimento da Planta Química Farmacêutica Militar

Máscaras, higienização e reutilização. Procedimento da Planta Química Farmacêutica Militar

Diante da indisponibilidade contingente de máscaras e respiradores, nesta fase da emergência Covid-19, a Fábrica Química Farmacêutica Militar (SCFM) de Florença desenvolveu um procedimento para uso interno. Para a higienização e reutilização de equipamentos de proteção individual (EPI) destinados à proteção do nariz e da boca.

Premissa

O procedimento a seguir consta em documento de uso interno, ainda não aprovado oficialmente. Este ato responde ao propósito exclusivo de atender a indisponibilidade contingente de máscaras e respiradores sobressalentes. (1)

Eles não existem evidências experimentais sobre a possibilidade de utilização deste tratamento pelopessoal que trabalha com pessoas infectadas (ou em ambientes com alto risco de contágio). ' Também não pode de forma alguma ser descartado responsabilidade dos empregadores para a segurança dos trabalhadores.

Lembrar que máscaras cirúrgicas e respiradores (ver artigo anterior) são geralmente referidos pelos seus fabricantes como dispositivos descartáveis. E aguardam-se testes técnicos específicos para avaliar a eficácia e limitações do procedimento em questão.

Instruções

Abaixo estão as 'Instruções de uso para higienização de máscaras de proteção individual descartáveis ​​em caso de emergência de saúde por Coronavírus COVID 19' pelo SCFM.

Solução desinfetante

Saneamento deve ser realizado 'com solução hidroalcoólica a 70% (álcool a 70°) em dispensador de spray ecológico ou outro dispensador adequado para permitir a pulverização da solução'.

Removendo a moldura

Observe bem, tanto a superfície externa da máscara usada quanto as mãos (ou luvas) podem estar contaminadas pelo vírus. É, pois, essencial, após a sua utilização:

- manipular o dispositivo com especial atenção,

- nunca toque no interior a máscara (que deve ser sempre mantida estéril),

- cumprir com cuidado para a ordem das operações descritas abaixo.

Saneamento, ordem de operações a ser seguida

1) Lave bem as mãos, seguindo o esquema já indicado. (2)

2) Retire a máscara usado no rosto usando os elásticos, evitando tocar em seu interior.

3) Lave as mãos novamente, coloque um novo par de luvas descartáveis ​​ou, alternativamente, higienize as mãos com uma solução hidroalcoólica a 75-85% ou outro desinfetante adequado. (2)

4) Coloque o molde, com a parte externa voltada para cima, sobre uma superfície previamente limpa/higienizada com água e sabão ou (melhor) com solução hidroalcoólica 75-85% ou outro desinfetante adequado. (3)

5) Pulverize uniformemente toda a superfície da máscara, inclusive os elásticos, com a solução hidroalcoólica 70%. Sem exceder na molhagem. Basta pulverizar uma camada uniforme de desinfetante em toda a superfície.

6) Gire o aro e repita a operação.

7) Deixe a solução agir até a evaporação completa, em local protegido, por pelo menos 30 minutos (o tempo de secagem pode variar de acordo com as condições ambientais).

8) Após a secagemuma vez decorrido o tempo acima, a máscara é higienizada. (4) Portanto, é necessário evitar contaminá-lo, principalmente na parte interna. Se o cheiro de álcool persistir, é aconselhável deixar o aparelho secar novamente em uma superfície limpa e higienizada. Caso contrário, coloque a máscara em um saco plástico (não contaminado) até o próximo uso.

avisos

1) Nunca guarde o dispositivo higienizado no interior ou em superfícies não higienizadas sem a proteção do saco plástico.

2) Em caso de alterações óbvio, não reutilize a máscara (ou respirador).

3) O interior máscara ou respirador nunca deve ser tocado, por qualquer motivo. Caso contrário, correndo o risco de contaminação.

4) Não repita o tratamento mais de três vezes. Em qualquer caso, não reutilize o dispositivo em caso de deterioração evidente. (5)

5) Após (último) uso de máscaras e respiradores, descarte-os corretamente em recipiente fechado e lave as mãos (com detergente à base de álcool ou com água e sabão). (6)

Dário Dongo

Note

(1) Veja também Documento de Posicionamento da APIC: Ampliando o Uso e/ou Reutilizando a Proteção Respiratória em ambientes de saúde durante desastres. 4.12.09,

CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças, EUA). (2020). Diretrizes recomendadas para uso prolongado e reutilização limitada de respiradores de peça facial filtrante N95 na área da saúde,

(2) Instruções para lavar as mãos e soluções esterilizantes, https://www.egalite.org/covid-19-guanti-meglio-lavare-spesso-le-mani-ecco-come/

(3) Como higienizar superfícies e objetos, De https://www.egalite.org/il-coronavirus-persiste-a-lungo-sulle-superfici-bisogna-sanificare-anche-gli-smartphone/

(4) Ressalta-se que:

- Este procedimento representa uma boa prática de higiene a ser adotada apenas em condições de emergência, quando não há máscaras ou respiradores sobressalentes disponíveis,

- o saneamento real da máscara assim tratada em comparação com o Covid-19 ainda carece de validação científica,

- eficácia do tratamento também depende da condição da máscara (ou respirador)

(5) O número de tratamentos indicados atende a necessidade de cautela, pendente de testes experimentais específicos (e seu caráter relativo, dada a variedade de dispositivos no mercado)

(6) Uso de máscaras, recomendações da OMS sobre https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/advice-for-public/when-and-how-to-use-masks

Artigos Relacionados

Artigos recentes

Commenti recentes