HomesegurançaÓxido de etileno em aditivos alimentares, tolerância incerta na UE

Óxido de etileno em aditivos alimentares, tolerância incerta na UE

Na sequência dos protestos do parceiro comerciantes e operadores da cadeia alimentar na UE, a Comissão Europeia introduziu um limite de tolerância ao óxido de etileno em aditivos alimentares.

O novo regulamento de execução - reg. UE 2022/1386, em vigor desde 1.9.22 - no entanto, por sua vez apresenta algumas margens de incerteza não negligenciáveis ​​que, por sua vez, merecem um estudo mais aprofundado.

1) Óxido de etileno. Premissa

Óxido de etileno (ETO) é um gás incolor, altamente explosivo e reativo. É utilizado na produção de derivados químicos que são a base dos principais bens de consumo. Assim como na indústria do petróleo - graças à capacidade do óxido de etileno de emulsionar fluidos e, assim, arrastar resíduos de perfuração para a superfície - e em líquidos anticongelantes. A capacidade do óxido de etileno de danificar o DNA o torna eficaz
agente esterilizante. É, portanto, utilizado na indústria agroquímica como pesticida, (1) na indústria químico-farmacêutica, em dispositivos médicos e hospitais.

Ação mutagênica é ao mesmo tempo a causa de sérios riscos à saúde, também apurados pela IARC (OMS) que a inseriu óxido de etileno em substâncias do Grupo I (cancerígenas para humanos). (2)

As principais vias de exposição Óxido de Etileno Humano são inalação e ingestão, que podem ocorrer por meio de exposição ocupacional, do consumidor ou ambiental. A população em geral pode ser exposta através da fumaça do tabaco e do uso de produtos esterilizados por óxido de etileno, como dispositivos médicos, cosméticos e equipamentos apícolas. (3)

2) Óxido de Etileno, o alerta mais disruptivo da história do RASFF

O 9.9.20 foi iniciada a maior operação de recolha de alimentos da história da UE. Com uma série ininterrupta de notificações de alerta no sistema RASFF (Sistema de alerta rápido sobre alimentos e rações), devido à contaminação por óxido de etileno de uma infinidade de alimentos. (4) Em pouco menos de dois anos foram notificados 863 casos no Sistema Europeu de Alerta Rápido, em:

  • especiarias e misturar especiarias (por exemplo, malagueta, caril, pimenta preta, ervas aromáticas e medicinais de todos os tipos, sementes de sésamo,
  • suplementos alimentares, gelados, (5) talharim e vários outros produtos alimentares, que contêm alguns aditivos alimentares, como
  • goma guar e xantana, goma de alfarroba (goma de alfarroba), vindos da Ásia e da Índia.

Matérias-primas de origem indiana, na grande maioria das notificações. Com exceção de alguns casos da Coréia do Sul, China e outros muito raros (por exemplo, Uganda).

3) Análise de risco, gestão de risco

Análise de risco conduzida pelos vários Estados-Membros era muitas vezes inconsistente tanto no que diz respeito aos níveis de contaminação detectados periodicamente em aditivos alimentares, ingredientes e produtos acabados, como no que diz respeito a decisões anteriores do mesmo e de outros países. Avaliação incerta (indecisa,), em muitos casos.

A Comissão Europeia, DG Sante, convocou pelo menos seis reuniões online do Comitê de Coordenação de Crise de Segurança Alimentar e Alimentos para Animais. A 'tolerância zero' imposta por Bruxelas também foi criticada, pela Bélgica e Dinamarca, entre outros, pois poderia levar a um desperdício insustentável de alimentos, talvez não justificado (6,7).

7) Regulamento da UE 2021/2246

O 15.12.21, a Comissão adoptou o reg. UE 2021/2246 para alargar a alguns produtos - uma pequena parte das matérias-primas agrícolas e alimentares sujeitas a centenas de alertas - o reforço dos controlos fronteiriços à importação de alimentos de origem vegetal em risco de segurança alimentar. (8)

O teste a partir de 'resíduos de óxido de etileno (soma de óxido de etileno e 2-cloroetanol, expresso em óxido de etileno)'foi prescrito apenas em:

  • gombi (quiabo) e folhas de curry (análise de pesticidas LMR. Ver nota 9) de origem indiana,
  • alfarroba, sementes de alfarroba e sua mucilagem provenientes de Marrocos (alimentos e rações)
  • suplementos alimentares com ingredientes botânicos e espaguete instantâneo cozido (talharim) da Coreia do Sul.

8) Regulamento da UE 2022/1396

O 11.8.22 a Comissão adoptou o reg. UE 2022/1396, em vigor desde 1.9.22. Na reforma parcial do Anexo ao reg. EU 231/2012 onde as especificações dos aditivos alimentares referidos nos Anexos II e III do reg. CE 1333/08 'sobre a presença de óxido de etileno em aditivos alimentares'. (10)

Revisão foi justificada pela dificuldade de aplicação das regras anteriores, devido à incerteza sobre a fonte de óxido de etileno cuja utilização para desinfetar alimentos é proibida na UE. A Comissão, ao reiterar esta proibição, introduziu um limiar de tolerância ETO de 0,1 mg em aditivos.

8.1) Óxido de etileno em aditivos alimentares, limite de tolerância e proibição

'Não é permitido a presença de resíduos de óxido de etileno (soma de óxido de etileno e 2-cloroetanol, expresso em óxido de etileno [11]) superior a 0,1 mg/kg, independentemente da sua origem, nos aditivos alimentares listados nos anexos II e III do Regulamento (CE) não. 1333/2008, incluindo misturas de aditivos alimentares. '

Este limite no entanto, coexiste com a proibição de 'uso de óxido de etileno em aditivos alimentares para fins de esterilização«(Reg. UE 2022/1396, anexo, ponto 1). Uma espada de Dâmocles balança assim sobre cada operador que importador e/ou utiliza, na indústria alimentícia, aditivos com ETO dentro do limite de tolerância. (12)

8.2) OTE, pureza impura

'Aqui você vai relativo a E 431 estearato de polioxietileno (40), E 432 monolaurato de polioxietileno sorbitano (polissorbato 20), E 433 monoleato de polioxietileno sorbitano (polissorbato 80), E 434 monopalmitato de polioxietileno sorbitano (polissorbato 40), E 435 monoestearato de polioxietileno sorbitano (polissorbato 60), E 436 triestearato de polioxietileno sorbitano (polissorbato 65), copolímero de enxerto E 1209 de álcool polivinílico-polietilenoglicol e E 1521 polietilenoglicol, no relatório descritivo "Pureza" a linha "óxido de etileno" é excluída. ' (Reg. UE 2022/1396, Anexo, ponto 2).

9) Segurança alimentar e excesso de poder

DG Sante, Comissão Europeia, se apresentou pela segunda vez em poucos meses em excesso de poder:

  • em julho de 2022, os eurocratas não cumpriram o seu dever de consultar a EFSA para a avaliação científica do sistema de análise de risco contato cruzado dos alérgenos adotados por alguns Estados-Membros e ignorados por outros, (13)
  • em agosto de 2022, os próprios eurocratas decidiram, em vez da EFSA, que 'a modificação das especificações não pode ter efeitos negativos na saúde humana' e portanto 'uma avaliação de segurança não é necessária uma avaliação pela Autoridade Europeia'(Reg. UE 2022/1386, considerando

A incerteza reina supremo, como infelizmente já foi observado. (14)

Dário Dongo

Anote os

(1) O uso de óxido de etileno como pesticida também ocorreu no Velho Continente, até que sua autorização não fosse renovada no reg. CE 1107/09

(2) Monografias da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (IARC) sobre a Avaliação de Riscos Carcinogênicos para Humanos: Óxido de Etileno. https://monographs.iarc.who.int/wp-content/uploads/2018/06/mono100F-28.pdf Organização Mundial da Saúde (OMS)

(3) Óxido de etileno. https://www.cancer.gov/about-cancer/causes-prevention/risk/substances/etileno-óxido Instituto Nacional do Câncer dos Institutos Nacionais de Saúde (EUA). 28.12.18

(4) Dario Dongo. Óxido de etileno, lembra na UE sem controles de fronteira reforçados. GIFT (Grande Comércio de Alimentos Italianos). 23.9.21

(5) Marta Cantado. Smarties, M&M's, Bounty, Twix. Até sorvetes contaminados com óxido de etileno cancerígeno. https://www.greatitalianfoodtrade.it/sicurezza/smarties-mms-bounty-twix-anche-i-gelati-contaminati-da-óxido-di-etileno-cancerogeno/ GIFT (Grande Comércio Alimentar Italiano). 21.6.21

(6) Resumo das reuniões dos Coordenadores de Crise de Alimentos e Alimentos para Animais de 29.6.21, 30.6.21 e 13.7.21 sobre a presença de óxido de etileno acima do limite de quantificação em goma de alfarroba (aditivo alimentar E410). https://food.ec.europa.eu/system/files/2021-07/rasff_etileno-oxide-incident_e410_crisis-coord_sum.pdf Comissão Europeia, DG Sante

(7) Resumo da Reunião sobre Óxido de Etileno (ETO): Aspectos Regulatórios e Técnicos. https://food.ec.europa.eu/system/files/2021-12/rasff_etileno-oxide-incident_e410_crisis-coord_20211004_sum.pdf Comissão Europeia, DG Sante. 4.10.21

(8) Regulamento da UE 2021/2246, que altera o Regulamento de Execução (UE) 2019/1793 relativo ao aumento temporário dos controlos oficiais e medidas de emergência que regem a entrada na União de certas mercadorias provenientes de determinados países terceiros, e que aplica o reg. UE 2017/625 e reg. CE178/02 https://bit.ly/3pULg7R

(9) Resíduos'pelo menos dos pesticidas listados no programa de controle adotado de acordo com o artigo 29.2 do reg. CE 396/05«(níveis máximos de resíduos de pesticidas nos alimentos e rações de origem vegetal e animal)»que pode ser analisado com métodos multiresíduos baseados em GC-MS e LC-MS (pesticidas a serem monitorados apenas em produtos de origem vegetal),

(10) 'ou seja, óxido de etileno + 0,55 * 2-cloro-etanol."'

(11) Reg. UE 2022/1396, que altera o anexo do Regulamento (UE) n. 231/2012 que estabelece as especificações dos aditivos alimentares listados nos Anexos II e III do Regulamento (CE) nº. 1333/2008 sobre a presença de óxido de etileno em aditivos alimentares https://eur-lex.europa.eu/eli/reg/2022/1396/oj?locale=it

(12) Quem e como pode demonstrar que os resíduos de óxido de etileno dentro do limite de tolerância permitido resultam de outras causas que não a esterilização? Existe um marcador, procedimento certificado ou outros documentos capazes de comprovar e/ou contraprovar a legitimidade do aditivo alimentar? Não, não no texto do regulamento. Qualquer avaliação é, portanto, deixada ao critério das autoridades de 27 Estados-Membros. E a Comissão Europeia, em vez de coordená-los, introduz a base legal para um novo caos

(13) Dário Dongo. Alérgenos e RASFF, apagão europeu. GIFT (Grande Comércio de Comida Italiana). 13.7.22

(14) Dário Dongo. Bloqueio alfandegário de goma xantana para óxido de etileno? FARE (Requisitos Alimentares e Agrícolas). 27.8.22

+ postagens

Dario Dongo, advogado e jornalista, doutor em direito alimentar internacional, fundador da WIISE (FARE - GIFT - Food Times) e da Égalité.

Artigos Relacionados

Artigos recentes

Commenti recentes

Traduzir »