HomeIdéiaEntomofagia, a tradição no México. 530 espécies de insetos à mesa

Entomofagia, a tradição no México. 530 espécies de insetos à mesa

Os insetos à mesa - uma relativa novidade na Europa, além dos vermes no queijo da Sardenha casu marsu e alguns outros (1,2) - estão enraizados na cultura e na tradição do México, onde a antropóloga Julieta Ramos-Elorduy identificou 530 espécies que são de fato objetos de consumo alimentar, a chamada entomofagia.

Além disso, o papel dos insetos excede em muito a produção de alimentos, aditivos alimentares (por exemplo, cochonilha. Ver nota 3) e ingredientes para rações, cosméticos e medicamentos. Uma vez que são capazes de exercer funções ecossistêmicas, úteis para a biodiversidade e também para a conversão de resíduos orgânicos em biomassa. Um aprofundamento.

1) Insetos no México. Cultura e cosmogonia

O Instituto de Biologia de Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) realiza pesquisas sobre o papel dos insetos há 50 anos. E é a sua Julieta Ramos-Elorduy que devemos as mais extraordinárias pesquisas sobre o tema da entomofagia, graças também a inúmeras missões a comunidades indígenas nos diversos territórios.

Cultura indígena atribui um papel de liderança aos insetos, tanto na vida cotidiana quanto na cosmogonia:

- borboleta Papílio daunus era reverenciada pelos teotihuacanos como a deusa das flores, da beleza e da juventude,

- os huichol celebravam algumas espécies de vespas como escoltas de almas para a vida após a morte,

- formigas vermelhas (gênero Pogonomicrmex), com a forma de seu ninho, teria sugerido à serpente emplumada Quetzalcoatl que o milho deveria ser armazenado para garantir alimento durante todo o ano.

2) Entomofagia pré-colombiana

Consumo de comida de insetos no México remonta aos tempos pré-hispânicos (ou seja, antes de 1521). E o antigo conhecimento indígena ainda é transmitido no uso responsável desses recursos. A começar pela fase de colheita, que está ligada aos ciclos da natureza (por exemplo, fases da lua, floração de algumas plantas, migrações de espécies animais).

A experiência centenária tem demonstrado a segurança do consumo de inúmeras espécies de insetos comestíveis, além de casos de contaminação química por agrotóxicos e resíduos de agrotóxicos. A tal ponto que em algumas áreas, como Oaxaca e Hidalgo, os insetos ainda representam uma fonte essencial de proteína. (5)

3) Colheita e reprodução

Pesquisadores documentaram a cultura, coleta e consumo de insetos por cerca de 3.000 grupos étnicos ao redor do mundo. Por outro lado, a reprodução ainda é mínima, também devido a obstáculos regulatórios que encontraram soluções possíveis apenas nos últimos anos (6,7). No México, como em vários países asiáticos, existem pequenas fazendas de:

- abelhas (Ápis, Melipona, Trigona),

- percevejos aquáticos (gêneros Krizousacorixa, Corisella, Notonecta, Graptocorixa y Hespecorixa, Lethocerus y Belostoma),

- borboletas Bombix morreu,

- mosca d'água (Efidra) E Musca domestica (cuja larva é conhecida como o verme do queijo),

- besouros (Tenébrio molitor, Zophobas morio),

- coccídios (gênero Dactilopio),

- grilos comuns (Acheta doméstica),

- mosca soldado negro. (8)

4) México, insetos na mesa

O pesquisador Julieta Ramos-Elorduy, do México, contou 530 espécies de insetos para consumo alimentar. Nos últimos anos houve o maior crescimento no consumo das espécies listadas abaixo, cuja sobrevivência também está ameaçada pela exploração excessiva e diversos fatores externos (poluição, agrotóxicos, abandono de cultivos de agave, etc.).

4.1) Grilos, formigas e verme mezcal

gafanhotos. Os grilos são os insetos mais consumidos no México. As espécies de grilos mais comuns, entre as 54 presentes na área, são Sphenarium histrio Gerstaecker, Sphenarium purpurascens Charpentier, Sphenarium magnum Márquez, Sphenarium sp., Melanoplus femurrubrum DeGeer, Melanoplus mexicanus Sauss,

- chicatas, formigas. Espécies Atta mexicana Smith, Atta cephalotes Linnaeus, Atta texana Buckley,

- escalas, espécies de ovos de formigas Liometopum apiculatum MayrL. ocidental var. luctuosum Wheeler. Seus ninhos são encontrados em plantas de agave. O 'caviar de formigas' é um prato delicioso mas muito caro,

- verme de agave vermelho (Comadia redtembacheri Hammerschmidt) e verme de agave branco (Aegiale hesperiaris Walker). O primeiro é o protagonista do mezcal, o famoso destilado de agave, e também é autorizado pelo FDA (Food and Drug Administration) para importações para os EUA.

4.2) Percevejos, besouros e abelhas sem ferrão

- jumil sagrado, percevejo. Edessa cordifera Walker é a espécie mais consumida das 51 em uso. Uma cerimônia é realizada para a coleta deste inseto (em Taxco, centro-sul do México).

Ahuahutle, Axayacatl, percevejos e seus ovos) (Boa af. Margaritacea Bueno, Corisella edulis Champion, Orisella mercenaria Say, Corisella tarsalis Fieber, Corisella texcocana Jacz ,, Corisella sp., Graptocorixa abdominales Say, Graptocorixa bimaculata Guér., Hesperocorixa laevigata Uhler, risousacorixa. , Trichocorixa sp., Notonecta unifasciata Guérin-Meneville, Notonecta sp..,

- jumil de Morelos, besouro (Euschistus sulcacitus Rolston),

- abelhas sem ferrão, criadas há centenas de anos na península de Yucatán. As espécies mais difundidas são Melipona beecheii Bennett, Scaptotrigona mexicana Guérin, captotrigona hellwegeri Friese, Plebeia sp., Nannotrigona testaceicornis Cresson, Trigona (Tetragona) jaty Schwarz- Trigona (Tetragonisca) angustula Lepeletier.

5) Insetos, renda dos agricultores e desenvolvimento sustentável

experiência no México, demonstra como os insetos podem dar uma contribuição substancial para integrar a renda dos agricultores, a soberania alimentar e o desenvolvimento sustentável. Julieta Ramos-Elorduy documentou as práticas da agricultura camponesa, mostrando como uma família de 5 membros pode coletar 400-500 kg de grilos, o inseto comestível por excelência, todos os dias.

A entrega 100% de biomassa, o alto teor de proteína (até 77%) e a capacidade de conservar os grilos por muito tempo secando-os ao sol (ou em uma panela ou no forno) permitem que pequenos agricultores mexicanos complementem suas famílias dieta, além do sustento. Com um investimento mínimo em termos de recursos económicos, humanos e naturais. Algumas espécies estão disponíveis durante todo o ano, outras apenas em determinadas estações do ano.

6) Corpo e mente

O antropólogo Julieta Ramos-Elorduy iniciou e desenvolveu sua pesquisa no México em numerosas comunidades onde a tradição indígena na entomofagia é tão forte que foi absorvida pelos usos de uma parcela substancial dos membros da chamada sociedade moderna. Numa autêntica continuidade da linguagem corporal que valoriza a textura crocante e o sabor delicado, sentindo o benefício das proteínas predominantes.

A dificuldade de algumas populações urbanas aceitar insetos à mesa, por outro lado, não pode ser explicado em termos de barreira cultural. Pelo contrário, de acordo com Julieta Ramos-Elorduy, o consumo generalizado de alimentos ultraprocessados ​​alterou a capacidade de apreciar os sabores dos alimentos naturais. O México está de fato assolado por uma epidemia de obesidade e doenças relacionadas que obrigou o governo a adotar medidas específicas aviso sobre rótulos e restrições à venda de junk food. (9)

7) Insetos à mesa, perspectivas

O governo mexicano nos últimos anos (2018), ampliou a lista de espécies indígenas de insetos comestíveis para 549, pouco menos de um terço das 1.681 espécies analisadas em todo o mundo. (10) Já em 1588, aliás, o frade franciscano Bernardino de Sahagún havia descrito - no Livro XI do Códice Florentino (11) - a presença no México de 96 espécies de insetos comestíveis. Referindo-se ao grilo, na capa, que 'um gafanhoto semelhante a um raio', pelo seu voo rápido e pelo ruído estridente que o distingue do primeiro.

Parece lógico que 'sistemas alimentares sustentáveis', um conceito recorrente em proclamações políticas em todos os lugares, incluem insetos. De fato, estima-se que essas espécies habitam o planeta há 300 milhões de anos (299,7 milhões antesHomo sapiens) e ainda são os mais difundidos. Seu papel nos ecossistemas é essencial, como mencionado acima. Mas para que possamos falar de 'sustentabilidade', deve-se dar muita atenção ao respeito às tradições e culturas dos povos, à redistribuição dos benefícios econômicos e ao respeito aos ecossistemas.

8) Desafios socioambientais, ESG

Os países do norte do mundo estão agora trabalhando na introdução de insetos, especialmente na forma de farinha, na alimentação humana e animal. O relatório FAO 2022 'Pensando no futuro da segurança alimentar - Um relatório prospectivo'recordou esta perspectiva, já introduzida em um grande estudo (2013) dedicado por Organização para a Alimentação e Agricultura entomofagia (12,1). A investigação cofinanciada pela UE nos programas Horizonte e Horizonte Europa está, por sua vez, a estimular a investigação neste sentido. (13)

Desafios socioambientais a considerar, numa lógica de desenvolvimento sustentável (#sdgs2030) e #ESG (Ambiental, Social, Governança), dizem respeito essencialmente a:

- as condições econômicas dos camponeses que coletam e criam insetos, que no México, como em outros lugares, muitas vezes ainda vivem em condições de extrema pobreza. Os produtores devem, portanto, ser protegidos da exploração neocolonial já vista nas cadeias agroalimentares enraizadas em países de renda média baixa (por exemplo, palma, soja, café, cacau),

- bem estar animal. A atual falta de regras sobre a coleta e criação de insetos não deve levar à exploração excessiva dos recursos naturais ou a outros abusos que possam causar danos injustos à saúde e ao bem-estar das espécies animais e vegetais envolvidas. O conceito Uma saúde deve, portanto, também encontrar aplicação neste sector zootécnico. (14) Sem pesticidas ou antibióticos. (15)

Dario Dongo e Isis Consuelo Sanlúcar Chirinos

Imagem da capa elaborada a partir de Frei Bernardino da Sahagún. Código Florentino, Lib. XI, figura 101

Note

(1) Dário Dongo. Insetos à mesa na UE. PRESENTE (Grande comércio de comida italiana). 28.2.17/XNUMX/XNUMX,

(2) Dario Dongo, Alfonso Piscopo. Casu marsu, o queijo com vermes na tradição da Sardenha. PRESENTE (Grande comércio de comida italiana). 10.1.19/XNUMX/XNUMX,

(3) Alguns exemplos do uso de cochonilha - aditivo corante E 120, carmim - em artigos anteriores em bebidas com sabor de laranja e bebidas lácteas.

(4) Julieta Ramos-Elorduy, & Velho Montesinos, JL (2007). Los insectos como alimento humano: Breve ensayo sobre la entomophagy, com referência especial no México. Boletín Real Sociedad Española de Historia Natural. Seção Biologia, 102 (1-4), 61-84

(5) Julieta Ramos-Elorduy (2009) ¿Los Insectos se come? DGDC-UNAM.

(6) Dario Dongo, Andrea Adelmo Della Penna. Insetos à mesa, autorizações de novos alimentos na UE. O Estado da arte. PRESENTE (Grande comércio de comida italiana). 13.2.22/XNUMX/XNUMX,

(7) Dario Dongo, Giulia Torre. Notificação de alimentos tradicionais de países terceiros, como Novel Foods na UE. PRESENTE (Grande comércio de comida italiana). 4.3.22/XNUMX/XNUMX,

(8) Dario Dongo, Andrea Adelmo Della Penna. Larvas, proteínas e óleos da mosca do soldado negro de resíduos orgânicos. PRESENTE (Grande comércio de comida italiana). 11.4.22/XNUMX/XNUMX,

(9) Dário Dongo. México, proteção de menores contra junk food. As proibições são acionadas. PRESENTE (Grande comércio de comida italiana). 26.8.20/XNUMX/XNUMX,

(10) Governo do México. Comestíveis de insetos. 4.3.18,

(11) Julieta Ramos-Elorduy (1999). Comestíveis de insetos. Arqueologia Mexicana, núm. 35, pág. 18-23.

(12) Ísis Consuelo Sanlúcar Chirinos. O Futuro da Segurança Alimentar, o relatório FAO 2022. PRESENTE (Grande comércio de comida italiana). 23.3.22/XNUMX/XNUMX,

(13) Andrea Adelmo Della Penna. Substituir a carne vermelha por grilos da casa? O projeto NovRBA. PRESENTE (Grande comércio de comida italiana). 25.5.22/XNUMX/XNUMX,

(14) Dário Dongo. Uma Saúde. Saúde e bem-estar animal, humano e planetário. O que podemos fazer? PRESENTE (Grande comércio de comida italiana). 2.6.21/XNUMX/XNUMX,

(15) Dario Dongo, Andrea Adelmo Della Penna. Criação de animais, algas e microalgas para evitar o uso de antibióticos. Algatan. PRESENTE (Grande comércio de comida italiana). 9.9.20/XNUMX/XNUMX,

Artigos Relacionados

Artigos recentes

Commenti recentes

Traduzir »