HomeAtores-consumidoresSucos, sucos e bebidas à base de laranja. 50 em comparação

Sucos, sucos e bebidas à base de laranja. 50 em comparação

Três categorias muito diferentes de bebidas enquadram-se no termo genérico “suco de laranja”. Desde sumos naturalmente ricos em vitamina C até sumos 100% fruta concentrados, até bebidas quase sempre com pouco sumo e muito açúcar e aditivos (por vezes a evitar).

As propostas na gôndola são examinadas por meio de uma comparação entre 50 produtos, divididos em 17 sucos (6 laranjas sanguíneas e 11 loiras), 6 sucos orgânicos, 7 sucos concentrados e 20 drinks com suco de laranja. Entre estas últimas está a variante ‘sem adição de açúcares’ (e sem adoçantes), o que suscita algumas dúvidas.

Como sempre, revisamos as marcas dos líderes da Indústria de Marca (IDM) e Marca Própria (MDD). Destes últimos, comparamos as marcas próprias do grande comércio varejista (Coop, Esselunga, Carrefour, Conad), das lojas de descontos (Eurospin, Lidl e Todis) e seus fornecedores (Consilia).

Vale ressaltar que os preços dos sucos estão sujeitos a IVA de 22%, enquanto os sucos concentrados menos valiosos e as bebidas adoçadas com um pouco de suco estão sujeitos ao imposto mais leve de 10%. Os agricultores italianos são assim penalizados em comparação com as indústrias de refrigerantes.

1) Suco de laranja

suco de laranja é o produto principal. Contém apenas suco de laranja fresco. Sem suco concentrado, sem adição de açúcares, aromatizantes, corantes ou aditivos.

O nome comercial olhando mais de perto, isso é inadequado, pois a extração industrial do suco não se dá por espremedura, como em casa e nos bares, mas sim por dispositivos de agulha que sugam o suco da fruta.

9 de 17 sucos eles derivam de laranjas italianas. E é singular o caso do suco de laranja sanguínea do Lidl, que contém polpa, mais precisamente 'células de laranja adicionadas', de frutas sicilianas, mas é engarrafado na Alemanha, a dois mil quilômetros de distância do ponto de coleta. A Eurospin, por outro lado, proclama o seu (caro) sumo de laranja louro como “Produzido em Itália”, sem no entanto especificar a origem da fruta.

1.1) Laranjas sanguíneas e laranjas loiras

Gosto à parte, vários aspectos distinguem os sucos de laranja sanguínea dos 'loiros'.

vitamina C é mais abundante em laranjas sanguíneas. A comparação não é simples, uma vez que o teor de vitamina C está indicado no rótulo de apenas 7 dos 17 produtos. Os poucos dados disponíveis mostram o seguinte:

– os sucos de laranja sanguínea informam a quantidade de vitamina C, que varia de 40 a 50 mg/100 ml, em 4 de 6 casos. Os dois rótulos que omitem a informação são Lidl e Macè.

– nos sucos de laranja clara, a vitamina C é indicada em apenas 3 dos 11 produtos e varia entre 30 e 35 mg/100 ml.

O preço médio ronda os 4€/l, com grande variabilidade dentro de cada categoria:

– de 2,52€ a 5,96€/litro, mais do dobro, entre os sumos de laranja sanguínea, do Esselunga mais barato ao Macè mais caro, ambos com laranjas sanguíneas de origem desconhecida,

– de 2,65 a 7,96€/litro, triplo, para loiras. Todis e Esselunga têm os preços mais baratos, Conad os mais altos. O preço do suco Eurospin é de € 5,38/litro, não exatamente 'desconto'.

comparação de suco de laranja
Pesquisa realizada em Roma, de 17 a 22 de abril de 2024, nos sites e lojas do Carrefour, Conad, Consilia, Coop, Esselunga, Eurospin, Lidl, Everli, Todis.

2) Sucos orgânicos, tintos e loiros

A melhor versão orgânica do sumo de laranja tem frequentemente um custo semelhante, por vezes até inferior ao dos produtos de fruta “convencionais”, ou seja, aqueles tratados com pesticidas sintéticos. A boa alimentação, respeitadora do ambiente e da saúde, é portanto, em alguns casos, uma opção para todos os orçamentos.

O preço médio é de 4,96€/l, com uma variação entre os 3€/l para o Esselunga e o dobro, cerca de 6€/l, para o Conad e o Scaldasole.

A origem italiana da fruta é relatada em apenas três dos seis rótulos: sucos de laranja sanguínea do Carrefour, Conad e Coop.

vitamina C confirma-se que é mais abundante (de 45 a 50 mg/100 ml) nos sucos vermelhos do que no único louro (35 mg/100 ml).

comparação de suco de laranja orgânico
Pesquisa realizada em Roma, de 17 a 22 de abril de 2024, nos sites e lojas do Carrefour, Conad, Consilia, Coop, Esselunga, Eurospin, Lidl, Everli, Todis.

3) Sucos de concentrado ‘loiro’

Menos valioso dos sucos são sucos de laranja concentrados, propostos com a alegação '100% fruta'. O preço médio dos sete produtos analisados ​​é de 1,82€/l, menos de metade dos sumos. Variam entre um mínimo de 1,40€/l para o sumo Esselunga e um máximo de dois euros (Conad, Coop, Esselunga).

Origem da fruta e teor de vitamina C sempre desconhecido. O único ingrediente é o suco concentrado, exceto nos dois casos (Conad e Todis) onde o aditivo ácido ascórbico também está presente.

comparação de suco de laranja 100% concentrado
Pesquisa realizada em Roma, de 17 a 22 de abril de 2024, nos sites e lojas do Carrefour, Conad, Consilia, Coop, Esselunga, Eurospin, Lidl, Everli, Todis.

4) Bebidas com suco de laranja, um mundo difícil

Raramente aceitável por fim, há bebidas com água e suco de laranja (concentrado). Corantes, sabores sintéticos, aditivos e açúcares e/ou adoçantes artificiais são frequentemente adicionados às misturas.

De 20 bebidas examinados, apenas dois são apresentados corretamente referentes ao teor de ‘laranja sanguínea e laranja loira’. Outros cinco, apesar de assim compostos, são apresentados como ‘laranja vermelho’.

A origem da fruta é sempre desconhecido. A exceção é o Hero Light, com frutas italianas.

A quantidade de suco da laranja varia de 30 a 80%. Mas, como mostra a tabela, os dados nem sempre são o único indicador de boa qualidade. Tenha cuidado com açúcares e aditivos.

4.1) Baixo custo e baixa qualidade

O preço médio destas bebidas é de 1,56€/l, sendo o mínimo de 0,86€/l (Laranja sanguínea Conad Vit) e o máximo de 2,89€/l (Hero Light).

vitamina C ele é exibido no rótulo somente quando adicionado. Isso acontece em 11 produtos com teor vitamínico que varia de 6 a 40 mg/100 ml.

Entre os ingredientes encontramos substâncias que é melhor evitar. Principalmente na alimentação infantil:

– aromatizantes sintéticos em 11 produtos, para imitar artificialmente o sabor da fruta,

– E 120. Este corante (ácido carmínico ou cochonilha) é obtido a partir de espremendo insetos parasitas de cactos. É proibido em produtos orgânicos e sujeito a uma dose diária aceitável de 2,5 mg/kg de peso corporal. Na verdade, é alergênico e suspeito de promover hiperatividade em crianças. Pode ser encontrada em 2 produtos (Consilia e Rauch),

– açúcares adicionados. 13 bebidas contêm sacarose, em quatro casos além do xarope de glicose-frutose (SGF). O resultado é uma concentração de açúcar de até 12 g/100 ml. Ou seja, 7,5 colheres de chá (nível 4g) de açúcar em um copo de 250 ml. Embora a EFSA recomende minimizar o consumo de açúcares, que causam cáries dentárias e doenças metabólicas crónicas, (1)

– adoçantes. Rauch adiciona ciclamatos (E 952) e sacarinas (E 954) em um produto e açúcar misturado com sucralose (E 955) em outro. Hero Light usa sucralose (E 955). Estes adoçantes sintéticos são inúteis para a perda de peso e expõem-no a doenças como a diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e mortalidade, alertou a OMS numa orientação publicada há um ano. (2)

comparação de bebidas com suco de laranja
Pesquisa realizada em Roma, de 17 a 22 de abril de 2024, nos sites e lojas do Carrefour, Conad, Consilia, Coop, Esselunga, Eurospin, Lidl, Everli, Todis.

4.2) Poucas receitas limpas, só suco regado

Apenas quatro produtos 'sem adição de açúcar' são feitos com água, suco de laranja e aromas naturais, sem adoçantes ou aditivos.

A alternativa é pouco apetitosa. Considerando tudo isso, se você precisa economizar, o melhor é escolher um saboroso suco orgânico (naturalmente rico em vitamina C) e adicionar água na mesma quantidade que o suco concentrado das bebidas é diluído. Mais sabor, menos ilusões.

Origem da fruta, quando?

«O Parlamento Europeu O Presidente cessante não introduziu deliberadamente a obrigação de rotular a origem da fruta em sumos, como em compotas, no recente revisão das directivas relativas ao pequeno-almoço', denuncia o advogado Dario Dongo, candidato nas eleições europeias que se realizarão de 8 a 9 de junho de 2024 no círculo eleitoral do Nordeste, com o movimento #PaceTerraDignità.

'Nossa batalha para que a origem dos ingredientes primários (>50%) e caracterizantes seja prescrita como obrigatória nos rótulos de todos os produtos alimentares continue em todos os contextos. Os consumidores têm todo o direito de fazer escolhas de compra informadas para melhorar os produtos agrícolas locais'.

Marta Chamuscado

Note

(1) Marta Cantado. O papel nocivo dos açúcares na dieta, parecer da EFSA. GIFT (Grande Comércio de Alimentos Italianos). 1.3.22

(2) Marta Cantado. 'Açúcar grátis'? Adoçantes sintéticos são inúteis e prejudiciais, alerta OMS. GIFT (Grande Comércio de Alimentos Italianos). 15.5.23

Marta Chamuscado
+ postagens

Jornalista profissional desde janeiro de 1995, trabalhou em jornais (Il Messaggero, Paese Sera, La Stampa) e periódicos (NumeroUno, Il Salvagente). Autora de pesquisas jornalísticas sobre alimentação, publicou o livro "Ler rótulos para saber o que comemos".

Artigos Relacionados

Artigos recentes

Commenti recentes

Traduzir »