HomeProgressoEstratégia de Biodiversidade da UE 2030, consulta pública

Estratégia de Biodiversidade da UE 2030, consulta pública

A Comissão Europeia abriu uma consulta pública sobre Estratégia de biodiversidade da UE 2030, a estratégia a ser implementada até 2030 para salvaguardar a biodiversidade. Cada um de nós - individualmente ou em representação de associações, institutos de investigação, outras entidades públicas e privadas, empresas e cooperativas - pode manifestar os seus comentários, até 20.1.20, através do link https://ec.europa.eu/info/law/better-regulation/initiatives/ares-2019-7908307_it .

Biodiversidade, um patrimônio a ser salvo

Biodiversidade - entendida como a variedade de vida na Terra - é um pré-requisito fundamental para o bem-estar sustentável e a prosperidade humana. A União Europeia prepara-se, assim, para definir os objetivos específicos a perseguir até 2030 para a salvaguardar. A ser compartilhado no fórum mais amplo da XNUMXª Conferência das Nações Unidas sobre Biodiversidade, em outubro próximo na China (em Kunming).

Mudanças climáticas, poluição e disseminação de espécies exóticas invasoras - juntamente com a sobre-exploração de solos e bacias hidrográficas - são apontadas como as principais causas da perda de biodiversidade. Desconsiderando o papel mortal dos pesticidas  e de 'plutocracia cultural'. Ou seja, a concentração da produção agrícola mundial em um número muito limitado de plantas e animais, em detrimento da extraordinária riqueza de espécies e variedades nativas.

Protecção do ambiente, papéis e responsabilidades da Europa

Os papéis e responsabilidades da Europa na proteção ambiental estão enraizados no Tratado para o Funcionamento da União Europeia (TFUE). Onde existem:

- a competência partilhada da UE com os Estados-Membros em questões ambientais (artigo 4.2.e),

- as necessidades de proteção do ambiente, nomeadamente no contexto da promoção do desenvolvimento sustentável, entre as políticas da União (artigo 11.º),

- Acção da UE em matéria de ambiente (artigo 191.º).

A união européia, nessa base, participa como membro efetivo do Convenção das Nações Unidas sobre Biodiversidade.

Biodiversidade na UE, regras e perspectivas

Natureza 2000 é de fato a principal ferramenta até agora adotada na UE para manter a biodiversidade. Uma rede ecológica estabelecida sob o chamado diretiva de habitat e espalhados pelos territórios de todos os países membros. (1) Com o objetivo de garantir a preservação a longo prazo dos habitats naturais, bem como de espécies raras ou ameaçadas de flora e fauna.

Para a rede Natureza 2000 - que possibilitou a criação das Zonas de Protecção Especial (ZPE), em linha com o disposto na chamada directiva aves (2) - são acrescentados outros instrumentos regulamentares já adoptados na UE. Como a directiva-quadro sobre a estratégia para o meio marinho e o regulamento sobre espécies exóticas invasoras. (3)

Lo Acordo Verde Europeu, anunciado pela Comissão Europeia sob a liderança de Ursula von der Leyen, deverá também contribuir para a preservação dos ecossistemas e da biodiversidade. Desde que sejam introduzidas restrições efetivas ao uso de agrotóxicos e que as produções orgânicas sejam incentivadas, mesmo em pequena e micro escala (ex. agricultura camponesa).

I novos OGMs - das siglas NBT enganosas (Novas técnicas de reprodução) e GE (Edição Genética) - constituem, em vez disso, uma séria ameaça à biodiversidade, como os OGM tradicionais. E é por isso que a Europa deve ser impedida de simplificar o procedimento para a sua autorização. Sem renunciar à necessária avaliação científica de risco, que deve obrigatoriamente preceder qualquer autorização para liberação de organismos geneticamente modificados no meio ambiente.

Estratégia de biodiversidade da UE 2030, os objetivos declarados

La EU 2030 Estratégia de Biodiversidade baseia-se em três palavras-chave. Proteja, restaure e integre:

▪ proteger natureza, aumentar a cobertura e eficácia das áreas protegidas de acordo com a rede Natura 2000,

▪ restaurar ecossistemas danificados, incluindo aqueles que são mais ricos em carbono e aqueles que mantêm um estado ecológico apreciável,

▪ integrar abordar plenamente as considerações de biodiversidade em outras políticas europeias e abordar o impacto da UE na biodiversidade global.

Outros objetivos incluídos na iniciativa dizem respeito à promoção do uso sustentável dos ecossistemas florestais, agrícolas, marinhos e de água doce e urbanos. À garantia de recursos financeiros adequados, a fim de aumentar o conhecimento graças também aos contributos dos cidadãos e dos parceiros sociais envolvidos.

Consulta em andamento

A Comissão Europeia convidou os parceiros sociais em causa a contribuir para o trabalho do Grupo de Coordenação de Biodiversidade e Natureza. No que diz respeito aos objetivos e medidas em desenvolvimento, que serão apresentados em 2021. Quanto mais os contributos forem acompanhados de referências precisas a dados e estudos publicados, mais será necessário que sejam considerados pelas instituições europeias envolvidas.

Dario Dongo e Martina Novelli

Note

(1) Veja https://www.minambiente.it/pagina/direttiva-habitat

(2) Veja https://www.minambiente.it/sites/default/files/archivio/allegati/biodiversita/Direttiva_uccelli_2009.pdf

(3) Cf. https://eur-lex.europa.eu/legal-content/EN/TXT/?uri=CELEX:32008L0056https://eur-lex.europa.eu/legal-content/EN/TXT/?qid=1417443504720&uri=CELEX:32014R1143

Artigos Relacionados

Artigos recentes

Commenti recentes

Traduzir »